quarta-feira, 24 de maio de 2017

Bispo de Porto-Novo emite decreto obrigando todos os clérigos a usar a batina


O Bispo de Porto-Novo no Benin, Msgr. Aristide Gonsallo, emitiu um decreto obrigando todos os clérigos a usar a batina como traje eclesiástico normal.
Decreto para a regulamentação vestuária do uso da batina na diocese de Porto-Novo:

No documento lê-se, entre outras coisas, que como um precioso dom de Deus aos homens, a fé é a melhor maneira de conhecer a Deus e amá-Lo e que o grau de maturidade e solidez da fé duma Igreja se mede a partir da sua capacidade de comunicar a fé professada mas também se manifesta pela qualidade das suas obras de caridade, como diz o Apóstolo São Tiago em Ti, II, 18.

Diz ainda o bispo que a realização das obras de Evangelização da diocese de Porto-Novo começou pelos pioneiros de ontem e continua pela devoção dos pastores de hoje que deve ser apoiada não só pela fé, mas também pela caridade de todos os seus filhos.


Em virtude destas considerações,

Em conformidade com as disposições dos cânones 284 e 669 do vigente Código de Direito Canónico,

Eu decreto:
1. O traje eclesiástico normal de qualquer clérigo (diocesano, religioso, membro de uma sociedade clerical de vida apostólica) na diocese de Porto-Novo é apenas a batina;
2. O uso de batina é obrigatório,
- para a celebração ou administração de todos os sacramentos, especialmente a Eucaristia;
- para a celebração de qualquer para-liturgia;

- em qualquer reunião de clérigos e em qualquer reunião com a participação do clero quer ao nível diocesano quer paroquial, como por exemplo as concelebrações da Missa, reuniões de presbíteros;
- em lugares onde os fiéis solicitam o clérigo para o exercício do ministério sacerdotal;
- nas visitas ao bispo, independentemente do momento e do motivo da visita;
- em qualquer lugar onde a identidade do sacerdote possa levantar dúvidas


Com o desejo de que o uso da batina seja uma evidência no seio da comunidade cristã do testemunho publico que todos os padres devem dar da sua própria identidade e da sua pertença especial a Deus, eu vos asseguro da minha comunhão orante em Jesus por Maria.

Dado em Porto-Novo, a 09 de Maio de 2017


blogger

11 comentários:

Ingrid Vieira disse...

Isso deveria ser uma LEI para todo sacerdote da Santa Igreja Cartolina Apostólica Romana. Queria ver certos "padres", que andam pelas ruas e são assediados por conta do comportamento e das roupas que usam. Ninguém os distingue. Aposto que vão preferir as roupas, se isso se tornasse lei.

Leo-kum disse...

Mas é lei

Loreci disse...

Ingrid Vieira, concordo totalmente contigo. E acho que o assédio não acontece só nas ruas. Fico chateada ao ver padres jovens, televisivos, usando roupas super coladas ao corpo, atiçando mulheres volúveis. E fazem estas mulheres pecarem por palavras e gestos. Existem dois padres cantores que são muito cobiçados por suas imagens e acho que se eles usassem batina Zé em suas apresentações, evitaria pensamentos e atos pecaminosos femininos.

Rejane disse...

Concordo plenamente, todo profissional em sua área de atuação tem a distinção feita por sua vestimenta,o médico veste o branco no exercício de sua profissão, um militar também, inclusive qdo vai a festas faz questão de sua farda. E com os PADRES deveria ser o mesmo, como ele perante a sociedade é um VOCACIONADO deveria sempre usar a batina, pois ele diferente dos demais abriu mão da vida de homem comum não é um profissional da FÉ e sim um homem que se consagrou a Deus sua vida e dedicação no exercicio de sua "VOCAÇÃO" , função que exige o tempo todo sua Postura, ABDICACOES ,não é uma profissao qualquer EVANGELIZANDO até mesmo com sua vestimenta perante os leigos e a sociedade.

Anónimo disse...

Falou tudo que eu gostaria de falar, parabéns!
Assino em baixo.

Anónimo disse...

Concordo plenamente as freiras andam com seus hábitos os padres ou frades seja lá o que for tem que usar a batina.

Anónimo disse...

Interessante! O que seria de nós se fôssemos obrigados a usar só as roupas que fossem impostas pelos outros? Onde fica a liberdade? se fosse assim, o militares deveriam usar farda o tempo todo, s´deveriam tira na hora de tomar banho e dormir. Os médicos não usariam outra cor que não fosse branca. Já imaginou o pessoal que trabalha no trânsito indo à uma festa usando aquela roupa cheia de faixas refletivas? e o coitado do açougueiro? não seria uma visão muito agradável vê-lo com o jaleco sujo com o sangue da carne que ele manuseou no seu ofício. Mulher de calças compridas...? acho que o bom uso da liberdade é o caminho. Precisamos de pessoas que testemunhem o Senhor com suas vidas, não com o seu jeito de vestir. Dizer que o padre deve usar batina para que algumas mulheres não pequem é inaceitável. Como ficam os pecados do dia a dia? Gostaria de aproveita a oportunidade de estar falando de vestes... por que mulheres podem ir à missa de shorts e camisa de alças, mas o homem não pode ir de bermuda e camiseta regata? rsrsrs desconsidere a última parte!

francisco disse...

O sacerdócio é dom do divino Redentor. O sacerdote representa Cristo, o qual disse: "Como o Pai me enviou, assim eu também vos envio a vós" e "quem vos ouve, a mim me ouve".

Ser sacerdote não é ter uma profissão como qualquer outra pessoa, é dar a vida ao serviço de Deus, dos fiéis e da salvação das almas, o sacerdote é um outro Cristo.

O uso da batina ou hábito religioso representa essa entrega e abandono das coisas do mundo.

O testemunho a dar deve ser exterior e interior, com as palavras, gestos, modo de vestir, com todo o nosso ser. Não é por se focar a importância da batina que se vai ignorar a importância de ser bom cristão.

Usar a batina também é um acto de caridade para com o próximo, demonstrando visivelmente que está ali um outro Cristo a qual podes recorrer.

Depois temos o testemunho, Nosso Senhor indicou que a quem der testemunho Dele junto dos Homens Ele dará testemunho junto do Pai.

Sugeria a leitura da Haerent Animo do Papa São Pio X.

Anónimo disse...

Qdo alguém se propõe a ser padre ele é sabedor das regras. É como um militar q tem q usar farda. É como uma mulher evangélica q tem de andar c roupas decentes. Ė como um monge Tiberiano q tem de usar o hábito. Não quer seguir as regras? Saia da instituição. Ninguém é obrigado a ser padre. Se é padre tem q andar de batina, não pode casar. Tem q ter vida digna do sacerdócio. Se quer andar de bermudas, tudo bem, também gosto, mas não sou padre...

Anónimo disse...

Sou vocacionado a vida sacerdotal tenho 17 anos quem sou eu pra falar de padre, mas em sim que usar batina, o usar o santo habito da batina o padre se coloca a disposição de servir suas ovelhas onde estiver... Eu quero usar a batina desde o seminario, pois a batina significa que morri para o mundo para VIVER servindo Cristo... Posso estar errado mas irei usr batina em toda minha vida apos entrar no seminario

Jose Teixeira disse...

Concordo. Pois deveria ser obrigatorio o uso da batina!